12.6 C
Rio Grande do Sul
sábado, julho 20, 2024
Home- ÚLTIMAS NOTÍCIAS -Governo de Lula enfrenta queda de governabilidade, aponta pesquisa

Governo de Lula enfrenta queda de governabilidade, aponta pesquisa

Estudo da 4Intelligence revela deterioração do índice de governabilidade do presidente, especialmente em relação ao Legislativo, Judiciário e opinião pública.

A gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enfrenta uma série de desafios no que diz respeito à governabilidade, segundo um estudo elaborado pela empresa de inteligência de dados 4Intelligence para o Estadão. Conforme a pesquisa, o Índice de Governabilidade (I-Gov) de Lula atingiu seu ponto mais baixo em maio, registrando 40,4%, marcando um dos piores momentos durante seu terceiro mandato.

O I-Gov é uma métrica utilizada para avaliar a capacidade do governo de implementar suas políticas e obter apoio em relação aos outros poderes, além de analisar sua repercussão na opinião pública.

O estudo aponta que essa queda está fortemente ligada à relação do governo com o Poder Legislativo. A empresa de inteligência considera três fatores principais na elaboração do índice: a aprovação de medidas provisórias no Congresso, eventuais derrotas em julgamentos no Supremo Tribunal Federal e o índice de aprovação do governo nas pesquisas de opinião.

A análise indica que quando o I-Gov fica abaixo dos 40%, a situação torna-se insustentável para um presidente, podendo levá-lo a deixar o cargo rapidamente. Em abril, o índice estava em 43%, o que evidencia uma queda significativa em maio, colocando o governo de Lula em uma zona de risco.

Em relação ao relacionamento com o Legislativo, o governo sofreu uma nova queda em maio, com o I-Gov atingindo apenas 14%, em comparação aos 18% registrados anteriormente. Essa queda é atribuída à perda de 11 medidas provisórias no Congresso, o que resultou em zero aprovações desse tipo de medida. A pesquisa destaca que esse resultado deixa o governo com a pior marca na dimensão do Legislativo.

No âmbito do Judiciário, houve uma queda de cinco pontos percentuais, chegando a 60%. O estudo aponta que os desafios persistem devido a uma agenda interrompida e ações relacionadas a governos anteriores, apesar de uma vitória relativa na reoneração da folha de pagamento.

Quanto à opinião pública, o índice registrou 47,1%, marcando o terceiro mês consecutivo abaixo de 50%. Isso indica uma preocupação por parte do governo, que busca reorganizar sua estratégia de comunicação oficial para melhorar sua imagem junto a uma sociedade politicamente dividida.

- Publicidade -

Mais populares

Feito com muito 💜 por go7.com.br