26.1 C
Rio Grande do Sul
quarta-feira, junho 12, 2024
Home- ÚLTIMAS NOTÍCIAS -Dos senadores do RS, apenas Paulo Paim (PT), votou pela volta do...

Dos senadores do RS, apenas Paulo Paim (PT), votou pela volta do DPVAT. Imposto retorna 10 vezes mais caro

Nesta quarta-feira (8), o Senado Federal aprovou o projeto de lei que restabelece o Seguro Obrigatório para Danos Pessoais por Veículos Automotores Terrestres (DPVAT), com 41 votos favoráveis e 28 contrários. A medida, que visa garantir a cobertura de danos pessoais em acidentes de trânsito, foi aprovada mesmo diante da resistência da oposição.

O projeto inclui a antecipação de R$ 15,7 bilhões para o governo Lula (PT), que serão utilizados para o pagamento de emendas de comissões aos senadores. Apesar dos esforços da oposição, a base governista conseguiu os votos necessários para aprovar o texto, inclusive rejeitando um destaque do Partido Liberal (PL) que visava remover a liberação dos recursos.

Nenhum senador de Minas Gerais votou a favor do projeto. Abaixo está a lista dos senadores que apoiaram a volta do DPVAT:

– Alessandro Vieira (MDB-SE)
– Ana Paula Lobato (PDT-MA)
– Angelo Coronel (PSD-BA)
– Beto Faro (PT-PA)
– Chico Rodrigues (PSB-RR)
– Cid Gomes (PSB-CE)
– Confúcio Moura (MDB-RO)
– Davi Alcolumbre (União Brasil-AP)
– Dr. Hiran (PP-RR)
– Eduardo Braga (MDB-AM)
– Efraim Filho (União Brasil-PB)
– Eliziane Gama (PSD-MA)
– Fabiano Contarato (PT-ES)
– Fernando Dueire (MDB-PE)
– Flávio Arns (PSB-PR)
– Humberto Costa (PT-PE)
– Ivete da Silveira (MDB-SC)
– Jader Barbalho (MDB-PA)
– Janaína Farias (PT-CE)
– Jaques Wagner (PT-BA)
– Jayme Campos (União Brasil-MT)
– Jorge Kajuru (PSB-GO)
– Jussara Lima (PSD-PI)
– Laércio Oliveira (PP-SE)
– Leila Barros (PDT-DF)
– Marcelo Castro (MDB-PI)
– Mecias de Jesus (Republicanos-RR)
– Nelsinho Trad (MS-PSD)
– Omar Aziz (PSD-AM)
– Otto Alencar (BA-PSD)
– Paulo Paim (RS-PT)
– Professora Dorinha Seabra (União Brasil-TO)
– Randolfe Rodrigues (sem partido-AP)
– Renan Calheiros (MDB-AL)
– Rogério Carvalho (PT-SE)
– Sérgio Petecão (PSD-AC)
– Soraya Thronicke (MS-Podemos)
– Teresa Leitão (PT-PE)
– Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB)
– Weverton (PDT-MA)
– Jussara Lima (PSD-PI)

O valor do novo seguro, conforme liderança do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), deverá girar em torno de R$ 50, quase 10 vezes mais do que o cobrado em 2020 (R$ 5,23).

A proposta também amplia em R$ 15,7 bilhões o limite para as despesas da União e segue agora para a sanção presidencial. O texto foi aprovado após intenso debate, com críticas da oposição à criação de uma nova despesa para a população, enquanto os governistas destacaram seu caráter social.

O SPVAT será cobrado anualmente dos proprietários de automóveis e motocicletas e será utilizado para pagar indenizações por acidentes de trânsito. A Caixa Econômica Federal será a administradora do fundo desses recursos.

As alterações realizadas pela Câmara dos Deputados, que ampliam a lista de despesas cobertas pelo seguro, foram mantidas no texto aprovado. Entre essas despesas estão assistência médica e suplementar, serviços funerários, e despesas com reabilitação profissional de vítimas parcialmente inválidas.

O projeto também antecipa em dois meses a permissão para a abertura de crédito suplementar em caso de superávit fiscal, permitindo uma elevação de 0,8% nas despesas da União, o equivalente a uma estimativa de R$ 15,7 bilhões.

Apesar das críticas da oposição, o projeto foi aprovado e segue para a sanção presidencial, representando uma mudança significativa no sistema de seguros de veículos no país.

 

- Publicidade -

Mais populares

Feito com muito 💜 por go7.com.br